Washington, 18 jul (EFE).- A ONG Fundação para o Devido Processo Legal (DPLF, na sigla em inglês) disse hoje que o julgamento do ex-presidente Alberto Fujimori no Peru cumpre os princípios internacionais de transparência.

A ONG, que promove a modernização dos sistemas judiciários na América Latina, aprovou a forma na qual acontece o procedimento, depois que seus principais responsáveis observaram seu desenvolvimento em Lima.

Douglas Cassel, presidente da DPLF e professor de direito da Universidade de Notre Dame, e Eduardo Bertoni, diretor-executivo da ONG e ex-relator especial para a Liberdade de Expressão da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), presenciaram as audiências de 25 e 27 de junho.

Além disso, se reuniram com os juízes responsáveis pelo julgamento do ex-líder, que é acusado de violações aos direitos humanos pela morte de 25 pessoas nos massacres de Barrios Altos e La Cantuta, e que pode ser condenado a 30 anos de prisão.

Cassel e Bertoni concluíram que o Poder Judiciário peruano adotou medidas que "propiciam o acesso à informação e asseguram a transparência do julgamento".

Sua única recomendação foi que o julgamento seja transmitido em um canal de televisão de sinal aberto, para garantir uma maior difusão, embora tenham enfatizado que esta questão "não compete ao Poder Judiciário". EFE cma/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.