ONG diz que índios da Amazônia fogem de madeireiros

Redação Central, 5 fev (EFE).- Cerca de 300 indígenas nômades da comunidade Awa, da Amazônia, fogem das retroescavadeiras que cortam a floresta, afirmou hoje em Madri a ONG Survival International, que promove uma campanha para, segundo ela, proteger esta tribo, que afirma ser uma das últimas autenticamente nômades do Brasil.

EFE |

Segundo um comunicado divulgado hoje pela ONG, os madeireiros, criadores de gado e colonos invadem a terra dos awa e caçam os animais dos quais eles dependem para sobreviver, além de expô-los a novas doenças.

"Os awa são caçadores formidáveis (...), mas necessitam cada centímetro de sua floresta" para suas subsistência, afirmou Fiona Watson, coordenadora de campanhas da Survival, que visitou alguns destes índios.

Segundo ela, cerca de 60 membros desta comunidade jamais tiveram contato com estrangeiros e muitos outros sobreviveram a "terríveis massacres", diz a ONG.

Segundo a ONG, o Governo Federal reconheceu legalmente a terra dos awa no Maranhão, mas não tomou as medidas necessárias para protegê-la.

Nos anos 1970, a União Europeia e o Banco Mundial financiaram a construção de um enorme mina de ferro e uma ferrovia na região, o que gerou um grande fluxo de colonos que contaram com membros desta comunidade indígena.

Mais de dois terços dos awa contatados por trabalhadores governamentais morreram durante esse período, segundo a Survival.

EFE rg/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG