ONG denuncia torturas contra dissidente chinês que criticou Jogos de 2008

Pequim, 1 abr (EFE).- O dissidente chinês Yang Chunlin, condenado a cinco anos de prisão por incitar a subversão e recolher assinaturas contra a celebração dos Jogos Olímpicos de Pequim, foi objeto de torturas, denunciou hoje a ONG Chinese Human Right Defenders (CHDR).

EFE |

Yang, que escutou sua sentença no dia 24 de março, recebeu uma surra de guardas penitenciários no início do mês após entrar na prisão de Heitong, na província de Heilongjiang (norte), diz um comunicado da entidade.

Como resultado desta agressão o dissidente sofreu ferimentos no rosto, o que fez com que as autoridades tenham adiado a leitura do veredicto até o final de março para que ninguém pudesse perceber a surra, afirmou a CHDR.

A organização diz que Yang foi humilhado publicamente no julgamento realizado no dia 19 de fevereiro e que também foi agredido enquanto escutava a sentença de cinco anos de prisão, o que faz com que tema que o dissidente possa sofrer novas torturas enquanto cumpre sua pena.

Yang reuniu 10 mil assinaturas contra a celebração dos Jogos Olímpicos de Pequim e em defesa de uma maior defesa dos direitos humanos na China.

Em setembro de 2007 a CHRD denunciou a detenção do dissidente, que divulgou suas críticas em diversos veículos de comunicação do exterior antes de ser detido em agosto de 2007. EFE pa/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG