Bruxelas, 12 mar (EFE).- Os três membros da organização Médicos Sem Fronteiras sequestrados hoje na região sudanesa de Darfur estão em bom estado, segundo anunciou hoje o responsável da MSF Bélgica, Christopher Stokes.

Ele declarou que conversou com um membro do pessoal da ONG no Sudão, que informou que os três sequestrados estão "em bom estado, foram bem tratados e receberam comida", disse em entrevista.

No entanto, não deu detalhes sobre como o pessoal da MSF no país tinha recebido a informação.

Stokes disse que a MSF planeja retirar seus funcionários de Darfur após o incidente, que as autoridades sudanesas atribuem a motivos econômicos, embora a organização humanitária não confirme esse detalhe.

O responsável da MSF e o diretor de operações da ONG, Stephan Goetheuer, disseram que cinco trabalhadores da MSF, dois sudaneses e três estrangeiros, foram capturados na zona de Sherif Umra, na província sudanesa de Darfur Norte, às 2h50 (de Brasília).

Um dos trabalhadores locais sudaneses foi solto a 20 quilômetros do local, e o segundo a uma distância similar de onde ocorreu a primeira libertação.

Os três sequestrados são um voluntário francês, um médico italiano e uma enfermeira canadense.

O MSF não considera que haja relação entre este ataque e a decisão do Governo do Sudão de expulsar de Darfur as organizações humanitárias, tomada na semana passada.

A medida foi uma resposta à ordem de detenção emitida pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) no dia 4 contra o presidente do país, Omar al-Bashir, por crimes de guerra e lesa-humanidade nessa região. EFE mrn/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.