Paris, 7 jan (EFE).- A organização Médicos do Mundo anunciou hoje a libertação de dois voluntários, Keiko Akahane e Wilhem Sools, seqüestrados em setembro na Etiópia e, posteriormente, levados pelos seqüestradores à Somália.

Os dois colaboradores da organização foram libertados ao meio-dia de hoje e estão em local seguro, indicou o comunicado divulgado hoje pela Médicos do Mundo.

Na mesma nota, a organização humanitária expressa sua satisfação com a notícia e transmite sua solidariedade para com as pessoas que ainda permanecem retidas contra sua vontade em território somali.

A Médicos do Mundo aproveita a ocasião para fazer um apelo em favor de que essas pessoas sejam libertadas o mais rápido possível.

Keiko Akahane, japonesa, e Wilhem Sools, holandês, foram seqüestrados em 22 de setembro na Etiópia, na região de Ogaden, ao noroeste do país, e na qual a população, de origem somali, luta há décadas pela independência em relação ao regime de Adis-Abeba.

Os seqüestradores os levaram, depois, à Somália, onde, em 10 de outubro, foram exibidos a jornalistas locais em Mogadíscio. EFE pi/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.