ONG acusa presidente checheno por assassinato de militante dos direitos humanos

A ONG Memorial, com a qual colaborava Natalia Estemirova, militante dos direitos humanos sequestrada e assassinada na quarta-feira, acusou diretamente pelo crime o presidente checheno Ramzan Kadyrov, que tem o apoio do Kremlin.

AFP |

"Eu sei, tenho certeza da identidade do culpado pelo assassinato de Natalia Estemirova, todos sabemos: seu nome é Ramzan Kadyrov", afirma em um comunicado Oleg Orlov, diretor da Memorial.

"Kadyrov ameaçava Natalia, a insultava e a considerava uma inimiga pública. Não sabemos se ele mesmo deu a ordem ou se foram seus colaboradores para agradar o chefe", completa.

Natalia Estimirova, 50 anos, militante premiada, denunciava o prosseguimento dos crimes de guerra na Chechênia, país oficialmente pacificado.

A militante foi encontrada morta na República da Inguchétia, no Cáucaso russo, depois de ter sido sequestrada na quarta-feira na Chechênia.

Kadyrov qualificou de "desumano" o crime e prometeu supervisionar pessoalmente a investigação, segundo a agência russa Ria Novosti.

cal/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG