Ondas gigantes matam oito pessoas na Coréia do Sul

Pelo menos oito pessoas morreram neste domingo depois que ondas gigantes atingiram um cais na costa ocidental da Coréia do Sul, informaram os serviços de guarda costeira.

AFP |

Duas pessoas estão desaparecidas e outras 13 ficaram feridas no incidente, ocorrido em Boryeong, cidade a cerca de 200 km da capital Seul, segundo as mesmas fontes.

Entre os mortos, um menino de nove anos e seu pai, além de outra criança de cinco anos e seu tio, disse à AFP Lee Won-Il, membro do serviço de guarda costeira Taean.

Entre os feridos, cinco já receberam alta do hospital, enquanto oito permanecem internados, alguns em estado grave.

"A água do mar recuou antes das ondas de dois metros de altura se levantarem e romperem contra o cais, arrastando todos os que ali estavam", contou uma testemunha, citada pela agência Yonhap.

Outra testemunha, Lee Sang-Whan, afirmou que as ondas chegaram a ter entre quatro e cinco metros.

"Ouvi uns barulhos como se fossem explosões, e ao mesmo tempo uma onda se levantou da água e golpeou o quebra-mar, levando as pessoas", relatou à rede de televisão YTN TV.

Yang Sun-Kyu, outro membro do Taean, destacou que várias embarcações estão patrulhando a costa para tentar localizar os desaparecidos e outras possíveis vítimas.

Ainda não se sabe o que gerou as ondas gigantes. Os serviços de meteorologia sul-coreanos afirmam que as condições do clima não eram especialmente ruins no momento do incidente.

"O vento estava um pouco forte, como havíamos alertado, mas não tínhamos nenhuma razão para lançar alertas especiais de ondas fora do normal", declarou à AFP Bong Ji-A, membro do departamento local de meteorologia em Daejeon.

"É um pouco estranho. Vamos enviar pesquisadores ao local para ver o que pode ter acontecido", explicou.

jkw/ap

    Leia tudo sobre: coréia do sul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG