Ondas de 80 centímetros chegam à costa leste da Rússia

MOSCOU (Reuters) - Um tsunami com ondas de até 80 centímetros alcançou neste domingo a costa leste da Rússia, depois de um poderoso terremoto no Chile, mas não foram registrados danos. Uma série de ondas chegou à península de Kamchatka, no extremo leste da Rússia e a nordeste do Japão, com um máximo de 80 centímetros de altura, disse uma funcionária no Centro de Tsunamis Sakhalin. As ondas continuavam chegando às Ilhas Kurilas, nas proximidades.

Reuters |

Pouco depois, o alerta de tsunami foi removido para a península de Kamchatka, disse uma porta-voz do Ministério das Emergências na região. "Não foram registrados danos", afirmou.

A vulcânica península de Kamchatka é a região mais oriental da Rússia. Fortemente militarizada durante a União Soviética, agora a região é um centro de mineração de platina, cobre, ouro e níquel.

Dezenas de pessoas foram removidas de suas casas na costa das Ilhas Kurilas, informou a agência de notícias estatal RIA, citando um funcionário local. A maioria dos moradores das ilhas vive em terras altas, declarou o funcionário.

O remoto arquipélago das Kurilas, escassamente habitado, se estende desde o nordeste do Japão até a península Kamchatka. O Japão reivindica quatro de suas ilhas. Essa disputa territorial causa tensão nas relações com a Rússia desde a Segunda Guerra Mundial.

Vários barcos abandonaram os portos locais para se refugiar das ondas em mar aberto a oeste das ilhas, disse um funcionário do governo regional à RIA.

O Japão retirou centenas de milhares de pessoas de suas casas por temer que uma onda de três metros pudesse chegar à costa. O tsunami seguia pelo Pacífico desde o Chile, onde um terremoto de magnitude 8,8 foi registrado no sábado, matando mais de 300 pessoas.

(Reportagem de Conor Humphries)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG