Onda de frio mata quase 250 crianças no Peru

Quase 250 crianças com menos de cinco anos de idade já morreram no Peru devido a uma onda de frio intenso que atingiu a região sul do país três meses antes do esperado.

BBC Brasil |

De acordo com o correspondente da BBC em Lima Dan Collyns, um terço das mortes ocorreu na cidade de Puno. A maior parte desta região é coberta por um planalto conhecido como altiplano, que se estende até a Bolívia.

Segundo o jornal El Comercio,as temperaturas nesta região chegaram aos -20ºC desde março. Até o momento, um total de 246 crianças morreram. Este número representa um aumento de 40% em relação ao número registrado no mesmo período de 2008, segundo o jornal peruano El Comercio.

Hipotermia

Collyns disse que dezenas de crianças morrem todos os anos durante o inverno no Peru devido a pneumonia e outros problemas respiratórios, principalmente no sul dos Andes.

No entanto, em 2009, as temperaturas baixas começaram em março. Especialistas acreditam que a mudança climática no planeta pode estar por trás da chegada do inverno mais cedo.

Funcionários de organizações de ajuda afirmaram que a exposição prolongada ao frio está causando hipotermia e as infecções respiratórias como a pneumonia.

As crianças, frequentemente mal nutridas, são as mais vulneráveis neste clima frio. Collyns relata que o sul do país é uma região marcada pela pobreza e a falta de serviços básicos de saúde.

O El Comercio relatou que a maioria das mortes não ocorreu nos hospitais, pois muitas vezes os pais das crianças não conhecem os riscos apresentados em quadros de pneumonia.

"Lamentavelmente, muitos pais de família levam os filhos afetados por problemas respiratórios muito tarde para os serviços de saúde, por isso é impossível para os médicos salvar suas vidas", disse ao jornal Felipe Zea Vilca, diretor regional de saúde de Puno.

O governo declarou estado de emergência nas áreas afetadas, mas críticos afirmam que as ondas de frio podem ser previstas e as mortes anuais, evitadas.

Muitos culparam a ineficiência do governo pelas mortas. Mas o ministro da Saúde, Oscar Ugarte, afirmou que as autoridades regionais não distribuíram os recursos públicos de forma eficaz.

O correspondente da BBC na capital peruana acrescenta que as campanhas para doação de cobertores, roupas e alimentos para as vítimas do frio no sul do país já se transformaram em um ritual anual para empresas e cidadãos peruanos.

Leia mais sobre Peru

    Leia tudo sobre: friomorteperu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG