Onda de frio castiga o Reino Unido e o resto da Europa

A onda de frio siberiano continuava castigando nesta quinta-feira o Reino Unido, perturbando fortemente o tráfego rodoviário por causa da formação de placas de gelo nas estradas, mas os principais aeroportos permaneciam abertos, embora com cancelamentos e atrasos de voos, e os efeitos também são sentidos no restante da Europa, onde vários países se preparam para mais nevascas.

AFP |

As temperaturas caíram até quase 18 graus abaixo de zero nas pequenas localidades de Benson, no condado de Oxford (centro da Inglaterra), e Woodford, perto de Manchester, segundo o serviço meteorológico.

Milhares de escolas em todo o país permaneciam fechadas, para a alegria das crianças que aproveitam assim de uma extensão inesperada de suas férias de Natal.

Depois do caos de quarta-feira, os principais aeroportos funcionavam nesta quinta, mas as companhias British Airways e EasyJet cancelaram dezenas de voos em Gatwick e Heathrow.

Nas estradas congeladas, vários acidentes complicaram ainda mais a vida dos motoristas. Houve problemas também na rede ferroviária por causa da neve.

Cerca de 5.000 residências no sul da Inglaterra ficaram sem luz durante a noite de quarta-feira, depois das fortes nevascas que danificaram as linhas de alta tensão, e cerca de 3.000 permaneciam ainda sem energia e, em alguns casos, sem calefação.

O tráfego ferroviário também foi prejudicado, já que um trem Eurostar Bruxelas-Londres avariado foi retirado do Eurotúnel que liga a França com a Grã-Bretanha na manhã desta quinta-feira, depois de ter ficado bloqueado por duas horas sob o canal da Mancha.

"O trem saiu do túnel do lado inglês", afirmou uma porta-voz da Eurostar à AFP. A composição foi rebocada até Ashford, ao sudeste de Londres, onde 260 passageiros seriam transferidos para outro trem que seguiria até a capital.

O serviço Eurostar não deve ser interrompido pela avaria, sobre a qual a empresa não divulgou detalhes, mas devem acontecer atrasos.

Assim como na quarta-feira, quatro viagens foram canceladas em consequência da desaceleração do serviço provocada pela onda de frio.

O incidente acontece três semanas depois de uma interrupção total do tráfego durante vários dias, pouco antes do Natal, por problemas ligados ao frio.

O serviço meteorológico, no entanto, indicou que a pior onda de frio em quase três décadas no país se prolongará até a próxima semana.

Na véspera, depois de afetar a Escócia e o norte de Inglaterra, a tempestade de neve atingiu os condados do sul do país e Londres, onde a camada branca chegou a acumular 47 centímetros de espessura em alguns pontos.

As autoridades também temem que em algumas zonas possa começar a faltar sal, que é espalhado pelas estradas para fundir a neve e o gelo acumulados nas nevascas que os serviços meteorológicos classificaram de "excepcionalmente grandes".

Em consequência dos problemas dos transportes, a central sindical TUC e muitas empresas recomendaram aos funcionários que permanecessem em casa, no caso do trajeto para o trabalho parecer muito caótico.

A onda de frio, que a meteorologia considera a mais grave desde 1981, matou uma pessoa até o momento. Um idoso faleceu na terça-feira ao perder o controle do carro em uma estrada congelada do condado de Hampshire.

"Está previsto que as temperaturas abaixo de zero continuem até meados do mês, com mais nevascas, especialmente no sul e leste do país", anunciou a agência meteorológica nacional.

Embora especialmente severo no Reino Unido, país pouco acostumado ao clima tão gélido, a onda de frio procedente da Sibéria afeta toda a Europa, e alguns países se preparam para as baixas temperaturas no fim de semana.

O frio é excepcional na Noruega, onde em vários pontos do país os termômetros marcaram 40 graus negativos. Em Oslo, com -15, os ônibus deixaram de circular porque o frio congela o combustível nos motores, e várias embarcações estão bloqueadas no porto pelo gelo.

A neve também dificultava o trânsito nas estradas da França, especialmente em Paris, Grenoble e Bordeaux, com atrasos e cancelamentos de voos no segundo aeroporto da capital, Orly.

Mais ao sul, o frio deve começar a complicar a vida a partir desta quinta-feira na Espanha e em Portugal, enquanto na Alemanha e na Áustria, as autoridades estavam em alerta porque as previsões anunciam a chegada de uma violenta tempestade de neve durante o fim de semana.

str/cn/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG