Onda de calor causa incêndios e destruição na Austrália

Sydney (Austrália), 7 fev (EFE).- Vários incêndios florestais continuam ativos no sul da Austrália e pelo menos 30 casas foram arrasadas pelas chamas em Victoria, enquanto a onda de calor que provocou temperaturas recordes de mais de 46 graus começou a diminuir em alguns estados.

EFE |

O calor começou a diminuir devido a uma mudança de direção dos ventos, mas os termômetros continuarão acima dos 40 graus até amanhã em Nova Gales do Sul e no Território da Capital da Austrália.

Existem oito focos de incêndios em Victoria. O incêndio no parque de Bunyip State, ao sudeste de Melbourne, arrasou 165 hectares com a mudança na direção do vento, o que favoreceu que as chamas ultrapassassem as linhas de contenção, arrasando tudo o que encontravam.

Em Horsham, um incêndio registrado em uma área de 1,8 mil hectares destruiu pelo menos três casas e o clube de golfe da localidade. Enquanto isso, em Kilmore, o fogo se espalhou por 1,4 mil hectares e destruiu casas.

Na Austrália do Sul, onde as temperaturas caíram um pouco, os bombeiros controlaram um incêndio florestal que se aproximou a 500 metros das casas de Gawler River, nos arredores de Adelaide.

Será preciso esperar até amanhã em Nova Gales do Sul para que o calor dê uma trégua aos bombeiros, que lutam contra 40 incêndios em todo o estado.

Em Victoria, onde algumas zonas estavam há 12 dias seguidos com temperaturas superiores a 40 graus, o termômetro alcançou um recorde histórico em Melbourne de 46,4 graus.

Esta é a temperatura máxima registrada na cidade desde que este tipo de dado começou a ser medido, em 1855. EFE mg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG