cruciais para turismo - Mundo - iG" /

OMT recomenda vacinar trabalhadores cruciais para turismo

Madri, 28 ago (EFE).- A Organização Mundial do Turismo (OMT) recomendou hoje vacinar contra a gripe A todos os trabalhadores que ocupem funções cruciais para o desenvolvimento do turismo ou que tenham contato frequente com os turistas, sobretudo em países com economias muito dependentes do turismo internacional.

EFE |

Assim se expressou em entrevista coletiva o chefe de gestão de riscos e crise da organização, Dirk Glaesser, após a realização em Madri de um exercício de análise e preparação frente à pandemia para os membros da Europa, África e o Oriente Médio.

A recomendação pede que os países levem em conta em seus planos de vacinação as pessoas cujas atividades sejam essenciais para o funcionamento do turismo e sejam difíceis de substituir, como ocorre por exemplo no transporte com pilotos, controladores aéreos e pessoal de segurança.

Embora o responsável da OMT não quisesse prever as consequências econômicas da gripe A porque depende de muitos fatores e, especialmente, da situação de cada país, reivindicou que todos os atores informem com precisão e transparência suas atuações, que podem influir no desenvolvimento da pandemia.

O subsecretário-geral da OMT, Geoffrey Lipman, calculou o impacto direto ou indireto da gripe A sobre o Produto Interno Bruto (PIB) e o emprego entre 3% e 5%, apesar de em países como os do Caribe, dependentes do turismo, poderia afetar de 30% a 40% de suas economias.

No entanto, disse que é difícil diferenciar entre o impacto que a crise econômica e outros fatores adicionais como a gripe A têm sobre a economia mundial.

Neste sentido, o chefe de gestão de riscos disse que este ano a situação do turismo seguirá sendo débil e, perante a segunda onda do vírus prevista para os próximos meses, pediu a atuação coordenada e a troca de informação entre todos.

No atual contexto de recessão econômica, Glaesser reiterou que "não há razões para restringir as viagens" e recomendou aos viajantes que atuem de forma responsável, mantendo as normas básicas de higiene e de prevenção como lavar as mãos ou tapar a boca ao tossir.

Seguindo as indicações da Organização Mundial da Saúde (OMS), a OMT recomenda aos turistas e que achem ter contraído a doença que tomem precauções adicionais e que não deixem de ir a um centro de saúde.

"O turismo não acrescenta um problema a mais", disse o subsecretário-geral, que acrescentou que este setor "não vai modificar o desenvolvimento do vírus", atualmente presente em 177 países.

Pelo contrário, a OMT acha que os países não devem adotar medidas dirigidas a limitar as viagens de seus cidadãos ao estrangeiro e insiste no impacto leve da gripe, já que, indicou Dirk, 95% dos casos confirmados não sofreram complicações sanitárias.

Em qualquer caso, a organização recomenda aos turistas que contratem seguros de viagens para evitar imprevistos.

George Lipman afirmou que a OMT está elaborando um guia para a próxima Assembleia Geral de outubro com o objetivo que o turismo se recupere com maior rapidez no momento que se saia da crise econômica. EFE bds/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG