OMS vai orientar sobre vacinação contra H1N1 na 2a-feira

GENEBRA (Reuters) - A Organização Mundial da Saúde (OMS) planeja reunir a imprensa na segunda-feira para transmitir orientações sobre a necessidade de vacinação contra a gripe H1N1, conhecida popularmente como gripe suína, disse uma porta-voz da entidade nesta sexta-feira. As recomendações ainda estão sendo preparadas, disse Fadela Chaib em entrevista coletiva em Genebra, onde fica a sede da agência da ONU.

Reuters |

Marie-Paule Kieny, diretora da Iniciativa por Pesquisas de Vacinas da OMS, dará uma entrevista à imprensa assim que as recomendações definidas no encontro a portas fechadas da OMS na terça-feira forem aprovadas pela diretora-geral da entidade, Margaret Chan.

A OMS elevou em 11 de junho a gripe H1N1 ao nível máximo em sua escala de alerta de pandemias, reagindo à disseminação do H1N1, uma nova cepa do vírus descoberta recentemente.

Laboratórios fabricantes de vacinas como Sanofi-Aventis, Novartis, Baxter, GlaxoSmithKline e Solvay buscam orientação da OMS sobre se impulsionam a produção de vacinas contra esse vírus, mantêm a fabricação das vacinas sazonais ou produzem uma combinação delas.

A descoberta de três casos isolados da gripe H1N1 na Dinamarca, Japão e Hong Kong que resistiram ao tratamento com o medicamento antiviral Tamiflu, fabricado pela Roche e Gilead, despertou o interesse em uma vacina para prevenir a infecção.

A OMS havia informado anteriormente nesta semana que a variedade do H1N1 resistente ao Tamiflu não parece se alastrar de modo preocupante. Todos os pacientes com esse tipo de vírus resistente se recuperaram completamente e foram tratados com o outro remédio antiviral recomendado pela OMS, o medicamento inalável Relenza, produzido pela Glaxo sob licença da Biota.

(Reportagem de Laura MacInnis)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG