GENEBRA - Subiu para 898 o número de casos confirmados de gripe suína em todo o mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). A doença já foi registrada em 18 países.


Entre os casos, 506 foram contabilizados no México, onde 19 pessoas morreram devido à doença. Nos EUA, uma pessoa morreu entre as 226 que foram infectadas pelo vírus H1N1. Nos demais países, não houve vítima fatal.

Estabilização

Nos últimos dias, sinais indicam que a propagação da doença pode estar se estabilizando e que a epidemia pode não ser tão grave como se pensava.

A OMS afirmou no sábado que, apesar da ameaça de uma pandemia ainda ser mantida, a propagação sustentada da gripe suína parece estar até agora restrita aos países da América do Norte, com apenas casos isolados em outras regiões, principalmente entre pessoas que estiveram no México.

Segundo o diretor de Alerta e Resposta Global da OMS, Michael Ryan, "neste momento não seria inteligente sugerir de modo algum que a situação esteja fora de controle".

Mortalidade em queda

O ministro da Saúde do México, José Ángel Córdova, também afirmou no sábado que a epidemia está em processo de estabilização, já que 70% dos hospitalizados com a gripe suína não apresentam gravidade.

Segundo ele, o número de casos parece estar diminuindo nos últimos dias, reduzindo também a taxa de mortalidade.

Nos Estados Unidos, o presidente Barack Obama declarou, em uma mensagem pelo rádio, que seu governo está tomando "todas as precauções necessárias" para evitar uma piora da situação.

Leia também


Entenda a gripe suína

Gripe suína no Brasil

Leia mais sobre gripe suína

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.