OMS recomenda testes antes de proibir laticínios chineses

GENEBRA - A Organização Mundial de Saúde (OMS) fez um apelo para que as autoridades nacionais de segurança alimentar testem os laticínios chineses antes de estabelecer sanções ou recalls contra a importação destes produtos.

Reuters |

Os governos do mundo todo reagiram rápido ao saber que milhares de crianças chinesas ficaram doentes por consumir leite em pó contaminado com melamina, substância barata que pode ser usada para enganar os testes de qualidade.

Mais de uma dezena de países na Ásia, África e Europa proibiram as importações de laticínios chineses. Já outros países, como a Austrália e o Iêmen, retiraram os produtos do mercado, temendo que o leite possivelmente letal já tivesse chegado às suas prateleiras.

"Há enormes recalls, mas sugerimos que as autoridades nacionais de segurança alimentar façam seus testes primeiro", disse Sari Setiogi, porta-voz da OMS, à Reuters.

"É mais prudente que os países façam testes de riscos à saúde antes de tomar qualquer decisão, como recalls ou proibições às importações de laticínios chineses", disse.

Na quinta-feira, a Índia anunciou uma proibição de três meses contra o leite e os laticínios chineses -- foi o país maior e mais populoso a impor tamanha restrição.

A União Européia também propôs testes e restrições sobre produtos chineses que contêm leite em pó. Uma porta-voz disse que as autoridades da UE testarão todos os produtos da China que contêm mais de 15 por cento de leite em pó em sua composição, além de proibir todos os produtos infantis com qualquer proporção de leite.

Leia mais sobre China

    Leia tudo sobre: leite contaminado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG