OMS pode abreviar assembleia anual devido à nova gripe

Por Stephanie Nebehay e Laura MacInnis GENEBRA (Reuters) - A Organização Mundial da Saúde (OMS) pode abreviar sua assembleia anual, neste mês, porque os ministros participantes precisam estar em seus países para o combate à gripe H1N1, disse um porta-voz na sexta-feira.

Reuters |

Diplomatas disseram que está se formando um consenso entre os 193 países da OMS para reduzir o evento, marcado para os dias 18 a 27 em Genebra. Ele ficaria com apenas cinco dias.

"Está definitivamente sob consideração, é uma possibilidade", disse Thomas Abraham, porta-voz da OMS, à Reuters. "As pessoas precisam estar em seus países. Ao mesmo tempo, é uma reunião importante."

Pelas regras da OMS, um comitê deveria decidir pela redução do encontro no primeiro dia de trabalho, segundo diplomatas. A ameaça de pandemia de gripe deve dominar a assembleia ministerial.

O embaixador mexicano junto à ONU em Genebra, Luis Alfonso de Alba, disse que levará à reunião sua preocupação a respeito de medidas "discriminatórias" que estariam sendo adotadas contra cidadãos e produtos do seu país devido à nova gripe.

O governo do México protestou nesta semana contra a quarentena forçada a que dezenas de cidadãos seus foram submetidos na China, mesmo sem terem sintomas da doença. Pequim disse que a medida foi justificada.

Segundo as últimas cifras da OMS, 2.371 pessoas em 24 países foram contaminadas com o vírus H1N1, que mistura elementos de gripes suínas, humanas e aviárias. Jovens adultos são as maiores vítimas do vírus, que matou 44 pessoas no México e 2 nos EUA.

A cifra da OMS ainda não inclui o Brasil, que confirmou quatro casos na quinta-feira. Também não inclui a Argentina, com um caso.

O México tem 1.112 casos confirmados em laboratórios da OMS, e os EUA somam 896. O terceiro país mais afetado é o Canadá, com 201 casos.

Na Europa, os países com mais casos são Espanha (81), Grã-Bretanha (32), Alemanha (10), Itália e França (5 cada). Houve confirmações também em Israel (6), Nova Zelândia (5) e Coreia do Sul (3).

Os demais países onde a OMS detectou a doença são: Portugal, Polônia, Irlanda, Holanda, Áustria, Dinamarca, Suécia, Suíça, El Salvador, China (Hong Kong), Guatemala, Colômbia e Costa Rica.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG