OMS mostra preocupação com gripe suína nos EUA e México

Genebra - A Organização Mundial da Saúde (OMS) manifestou nesta sexta-feira sua preocupação com o foco de gripe suína nos Estados Unidos e, particularmente, no México, onde há 800 casos de pessoas com sintomas aparentes da doença e foram registradas 57 mortes na área do Distrito Federal.

EFE |

"Casos semelhantes foram encontrados desde então em San Luis Potosí, onde o número de casos suspeitos é de 24 e três mortes", disse a porta-voz do organismo sanitário, Fadela Chaib.

A porta-voz disse que os casos no México correspondem a adultos jovens e saudáveis, sem antecedentes de outras doenças.

"Houve muito poucos casos de crianças abaixo dos três anos ou de adultos acima dos 60 anos", acrescentou.

Um foco da mesma infecção surgiu nos Estados Unidos, precisamente nos estados da Califórnia, com cinco casos, e do Texas, com dois, em três ambientes claramente identificados.

Nenhuma morte foi associada nos EUA com o foco de febre suína, ressaltou Chaib.

"Os doentes na Califórnia e no Texas foram hospitalizados por alguns dias até sua recuperação, já que os sintomas eram leves, semelhantes aos de uma gripe comum", esclareceu a porta-voz.

"Nos EUA, está se descrevendo o vírus como um novo subtipo da cepa H1N1, enquanto, por enquanto, o México não indicou nada sobre o tipo de vírus", disse a porta-voz.

Ressaltou que vários cientistas da OMS trabalham em sua sede de Genebra nesta questão, em permanente coordenação com as autoridades sanitárias dos dois países afetados.

Sobre a possibilidade de que a OMS emita uma advertência sanitária destinada aos turistas que forem ao México, Chaib disse que "é uma pergunta legítima, mas não tenho resposta, por enquanto".

A gripe suína infecta raramente os seres humanos e, em geral, infecta trabalhadores do campo ou pessoas em contato com porcos. EFE is/an

    Leia tudo sobre: gripe suína

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG