OMS eleva alerta de gripe suína e teme pandemia iminente

A Organização Mundial de Saúde (OMS) elevou o nível de alerta da gripe suína para cinco - um abaixo do estágio de alerta máximo da escala - e afirmou haver sinais de que uma pandemia da doença seja iminente. O nível cinco de alerta é acionado quando há transmissão da doença entre humanos em pelo menos dois países.

BBC Brasil |

"Mesmo que a maioria dos países não seja afetada neste momento, a declaração da fase cinco é um forte sinal de que uma pandemia é iminente e que o tempo para finalizar a organização, comunicação e implementação das medidas é curto", disse a diretora-geral da OMS, Margaret Chan.

O país mais afetado continua sendo o México, em que houve 168 mortes suspeitas de terem sido causadas por gripe suína - oito delas foram confirmadas.

Como parte de novos esforços para conter o avanço da doença, o presidente do México, Felipe Calderón, anunciou a suspensão parcial de serviços não-essenciais entre os dias 1 e 5 de maio e pediu que a população ficasse em casa nesse período.

O segundo país mas afetado são os Estados Unidos, onde há 91 casos confirmados e onde houve a primeira vítima fatal fora do México, um bebê mexicano de 23 meses, que morreu no Estado do Texas.

Na Europa, o diretor-geral para Saúde da União Europeia, Robert Madelin, alertou que o vírus causador da gripe suína poderia matar milhares de pessoas no continente.

"Não se trata de questionar se pessoas vão morrer, mas sim de quantas vão morrer. Serão centenas, milhares ou dezenas de milhares?", disse ele à agência de notícias Reuters.

Brasil
O Ministério da Saúde do Brasil informou que há dois casos suspeitos no Brasil: um em São Paulo e outro em Belo Horizonte (MG).

Segundo o ministro José Gomes Temporão, esses dois pacientes já estão sendo tratados com fosfato de oseltamivir, que é um dos dois medicamentos recomendados pela OMS contra a gripe suína. Há ainda 36 casos em monitoramento.

Temporão disse que o Brasil dispõe de 6.250 tratamentos para adultos e 6.250 tratamentos para crianças.

Além disso, o Brasil tem matéria-prima para a produção de outros 9 milhões de tratamentos contra a gripe suína. Segundo o Ministério, cada tratamento é composto de dez doses do remédio.

A produção do medicamento pode ser iniciada assim que for necessário, segundo Temporão.

O ministro também afirmou que os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro já receberam 200 tratamentos cada e que, nesta quinta-feira, os outros Estados brasileiros receberão 20 tratamentos cada.

Temporão ressaltou que a automedicação com remédios convencionais para gripe não surte efeito e deve ser evitada. México
Em uma entrevista coletiva na noite desta quarta-feira, o ministro da Saúde do México, José Córdova, afirmou que foram detectados 99 casos confirmados e 8 mortes causadas pela gripe no país.

Ele ainda anunciou novas medidas para tentar combater o surto.

Leia também na BBC Brasil: México anuncia novas medidas para combater vírus da gripe
Durante um discurso na noite desta quarta-feira, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou que, no momento, seu governo descarta o fechamento da fronteira com o México por causa do surto de gripe.

"Eu consultei nossas autoridades de saúde e, no momento, eles não recomendaram o fechamento das fronteiras. Para eles, isso seria como fechar a porta do estábulo depois de os cavalos saírem, porque já temos casos nos Estados Unidos", disse.

Além de Estados Unidos e México, a doença foi confirmada, segundo dados da OMS, no Canadá (com 13 ocorrências), Alemanha (3), Espanha (4), Grã-Bretanha (5), Nova Zelândia (3) e Israel (2) e Áustria (1).Na noite desta quarta-feira, o ministro da Saúde do Peru, Óscar Ugarte, afirmou que uma paciente com sintomas de gripe suína está sendo tratada no país.

Se confirmado pela OMS, este seria o primeiro registro da doença na América do Sul.

Segundo a rádio peruana RPP, a argentina Alejandrina Coche, de 27 anos, estava em um voo que ia do México a Buenos Aires. O avião em que estava, no entanto, pousou em Lima assim que ela começou a se sentir mal.

Voos
O ministro peruano também anunciou a suspensão de todos os voos comerciais provenientes do México, em uma tentativa de evitar que o vírus da gripe chegue ao país.

Em outra media semelhante, o governo do Equador restringiu por um mês os voos entre o país e o México, assim como a entrada de turistas mexicanos em seu território.

Os dois países se juntam a Argentina e Cuba, que também suspenderam os voos provenientes do México.

A ministra da Saúde da França, Roselyne Bachelot, também afirmou que pedirá a suspensão dos voos para o México durante uma reunião de ministros da Saúde da União Europeia, que acontece nesta quinta-feira.

Ela afirmou que ainda não está sendo considerada a suspensão dos voos do México para a Europa, pois isto faria com que os europeus que estão no país fiquem sem alternativas para voltar às suas casas.

Na última segunda-feira, no entanto, o diretor-assistente da OMS, Keiji Fukuda, afirmou que medidas do tipo teriam poucos efeitos para barrar o vírus.

"Com a disseminação do vírus...fechar fronteiras ou restringir viagens tem muito pouco efeito na contenção desse vírus", disse Fukuda.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG