OMS e ONUSIDA expressam otimismo prudente sobre vacina experimental anti-Aids

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a ONUSIDA, agência das Nações Unidas dedicada ao combate do HIV, expressaram nesta quinta-feira seu otimismo depois do anúncio, em Bangcoc, do desenvolvimento de uma vacina experimental capaz de reduzir em um terço dos casos o risco de contaminação pelo vírus da Aids.

AFP |

"Ainda falta muito a fazer", alertaram as duas organizações, destacando que falta definir a duração da imunização, se a vacina poderia ser utilizada em outras partes do mundo e se é eficaz com outros subtipos do vírus da imunodeficiência humana (HIV).

A vacina, desenvolvida por pesquisadores americanos e tailandeses, tem "efeito protetor modesto" (31,2% das 16.000 pessoas estudadas na Tailândia), indicaram em um comunicado a OMS e a ONUSIDA, acrescentando, no entanto, que os resultados trazem "uma nova esperança".

Vacinas deste tipo, que apresentam "níveis modestos de eficácia", "parecem não ser mais do que instrumentos complementares de outras estratégias destinadas a mudar o comportamento e as normas sociais, como promover a utilização correta e arrazoada do preservativo, o acesso ao material de injeção seguro e a circuncisão", destacam OMS e ONUSIDA.

dro/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG