OMS diz que proporção de casos graves de gripe é semelhante no México e EUA

Genebra, 12 mai (EFE).- A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou hoje que foi possível constatar que a proporção de casos de infectados da gripe que desenvolveram quadros graves é semelhante no México e nos Estados Unidos.

EFE |

"A princípio, contabilizamos uma proporção maior de casos severos no México que em qualquer outro lugar, mas, à medida que obtivemos mais dados, conseguimos comprovar que a proporção é muito semelhante", disse, em entrevista coletiva, Nikki Shindo, especialista em gripe da OMS.

Shindo disse que a porcentagem de doentes mexicanos que tiveram que ser hospitalizados continua em 10%.

Além disso, disse que, segundo os dados disponíveis, a taxa de mortalidade no México continua em 4%.

A doutora expressou duas preocupações principais: identificar porque jovens adultos previamente saudáveis adoeceram de forma severa, e a possibilidade de que o vírus A (H1N1) se combine com outros vírus de gripe comum e se torne resistente no hemisfério sul.

"É estranho e diferencia este vírus do comum o fato de que tenham adoecido de forma severa jovens adultos saudáveis e mulheres grávidas, estamos investigando o porquê".

De acordo com Shindo, no hemisfério sul, o vírus sazonal é mais resistente do que no norte, por isso o temor de que o vírus da gripe suína possa se fortalecer.

A doutora enfatizou que, neste estágio, o número de casos não é mais relevante, mas se essas infecções foram locais ou por contato direto com um doente.

A OMS justifica o fato de que não ter subido o nível de alerta para seis, do atual cinco, porque não se comprovou infecção local em outra região diferente da América do Norte.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE mh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG