É muito cedo para dizer que a pandemia de gripe H1N1 acabou, afirmou nesta quinta-feira o dr. Keiji Fukuda, assessor especial da direção geral da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O ponto mais alto da epidemai, inclusive, não foi superado na América do Norte e a propagação continua em níveis elevados em certas regiões da Europa e da Ásia Central, afirmou ainda.

Além disso, a primeira onda da gripe H1N1 ocorreu no hemisfério norte, com a chegada do frio, e pode acontecer uma segunda, advertiu.

dro/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.