OMS diz que ampliar validade do Tamiflu é assunto nacional

Genebra, 18 ago (EFE).- A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse hoje que as autoridades reguladoras nacionais têm competência para prolongar eventualmente a data de validade de um determinado remédio, como é o caso do antiviral Tamiflu, utilizado contra a gripe.

EFE |

Gregory Hartl, porta-voz da OMS, respondia assim à confusão criada pelo anúncio, no sábado passado, pela Swissmedic - autoridade de controle de produtos farmacêuticos suíça - de que tinha autorizado prolongar a data de validade do Tamiflu em dois anos.

Este remédio, o principal antiviral usado contra vírus pandêmicos, como a gripe aviária e, agora, a nova gripe, e que é fabricado pelo multinacional suíça Roche, vencia depois de cinco anos. Após a autorização, o remédio terá vida útil de sete anos.

O prolongamento é submetido a que ocorra uma epidemia - o que já é o caso - e que tenha sido julgado por especialistas que o remédio é necessário de forma maciça. Segundo a informação, todas as caixas de comprimidos cuja data de validade for antes de 2016 poderão ser usadas por mais dois anos além da data indicada.

Diante da surpresa gerada por este anúncio, a OMS indicou hoje que a Agência Europeia de Remédios (Emea, em inglês) ampliou a vida útil das cápsulas de Tamiflu de cinco para sete anos.

"E, no caso de gripe pandêmica, a Emea indicou que é aceitável que isso seja aplicado de forma retroativa aos estoques existentes", disse Hartl.

"A OMS afirma que a extensão da vida útil dos remédios é um assunto das autoridades reguladoras nacionais, e isso é consistente com a opinião" da organização de saúde, acrescentou.

Vários países armazenaram grandes reservas de Tamiflu nos últimos anos, devido ao temor de uma pandemia de gripe aviária que nunca chegou a acontecer.

Em junho, no entanto, a OMS declarou que o mundo vive uma pandemia da nova gripe, com quase 180 mil infectados e cerca de 1,5 mil mortos, segundo o balanço mais recente da organização, divulgado há uma semana. EFE vh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG