OMS contabiliza 5,251 mil casos da gripe no mundo

Genebra, 12 mai (EFE).- O número de casos de gripe suína confirmados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) chegou hoje a 5,251 mil em 30 países, número no qual estão incluídas 61 mortes por causa da doença.

EFE |

O Brasil continua com a confirmação de oito casos da doença nos dados mais recentes da organização, sem nenhuma vítima fatal.

O México informou sobre 2,059 mil casos do vírus A (H1N1) confirmados em laboratório, incluindo 56 mortes, indicou a OMS.

Os Estados Unidos informaram sobre a infecção em 2,6 mil pessoas - incluindo três mortes -, enquanto o Canadá, o terceiro país mais afetado, confirmou 330 casos, incluindo um falecido.

Com uma morte e oito casos confirmados - mesmos números da estatística divulgada ontem - por provas de laboratório, a Costa Rica fecha a lista dos países que registraram falecimentos por causa da doença.

Na Europa, a Espanha apresenta o maior número de doentes (95), seguida pelo Reino Unido (55).

Os países com casos verificados, mas sem mortos, são: Panamá (16), França (13), Alemanha (12), Itália (9), Israel (7), Nova Zelândia (7), El Salvador (4), China (2, incluindo uma em Hong Kong), Japão (4), Holanda (3), Coreia do Sul (3), Colômbia (3), Suécia (2), Noruega (2), Áustria (1), Guatemala (1), Dinamarca (1), Irlanda (1), Austrália (1), Argentina (1), Polônia (1), Portugal (1) e Suíça (1).

Após informar sobre estes dados, a porta-voz da OMS, Fadela Chaib, informou que o grupo assessor em questão de vacinas da OMS realizará uma teleconferência na próxima quinta-feira.

A conferência terá a participação de especialistas da OMS e de representantes da indústria farmacêutica e de fundações internacionais que trabalham nesta área.

Também poderão participar responsáveis das entidades reguladoras de remédios e especialistas em vacinas de todos os continentes.

A OMS indicou que decidirá em breve se começa a produção de uma vacina contra a gripe suína.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE is/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG