O vírus da gripe suína infectou 8.829 pessoas em 40 países e provocou a morte de 75 delas, anunciou em Genebra o número dois da Organização Mundial da Saúde (OMS), Keiji Fukuda.

"Cerca de 95% dos casos foram registrados na América do Norte, nos Estados Unidos, México e Canadá", explicou Fukuda durante uma reunião especial consagrada ao novo vírus A (H1N1) durante a assembleia anual da OMS que começou nesta segunda-feira em Genebra.

Os outros países mais afetados são Japão, com 125 casos, Espanha (103) e Grã-Bretanha (101).

O número dois da organização destacou no sábado que a OMS acompanhava de perto a situação na Europa e no Japão, país em que o número de casos subiu rapidamente durante o fim de semana e que se tornou o mais afetado fora do continente americano.

Segundo Tóquio, parte dos casos foram registrados em pessoas que não viajaram a nenhum dos países afetados.

Segundo os critérios da OMS, a situação no Japão pode, caso seja confirmada, justificar a ativação do nível 6 de alerta, o máximo, o que representaria o surgimento da primeira grande pandemia gripal do século XXI.

Desde que a OMS elevou o nível de alerta a 5 no dia 29 de abril, que representa a iminência de uma pandemia, a organização está à espera de provas da existência de um foco de transmissão não relacionado com viagens de uma região diferente do continente americano, onde surgiu o vírus inédito do tipo A (H1N1).

at/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.