OMS anuncia 8.451 casos de gripe suína; Índia e Turquia contaminados

O número de pessoas infectadas pelo vírus da gripe suína, na contagem da Organização Mundial da Saúde (OMS), aumentou neste sábado em quase mil, ficando em 8.451 casos em 36 países. O número de mortos passou sexta-feira de 65 a 72.

AFP |

O balanço da organização vêm piorando muito há uma semana, com os EUA liderando em número de pessoas infectadas, seguidos pelo México, foco da origem do novo vírus A (H1N1).

A organização falava segunda-feira em 4.379 casos em 29 países, mas este número foi aumentando à ordem de quase mil por dia.

A Índia e a Turquia anunciaram hoje o primeiro caso de gripe suína em seus respectivos territórios.

Na Índia, o vírus foi identificado em um homem procedente de Nova York, na cidade de Hyderabad, segundo um comunicado do ministério indiano da Saúde.

O rapaz, de 23 anos, cuja nacionalidade não foi revelada, desembarcou quarta-feira na Índia e foi colocado em quarentena no aeroporto de Hyderabad, um cidade especializada em altas tecnologias, com seis milhões de habitantes e a capital do estado de Andhra Pradesh.

Mas o ministério destacou, em seu comunicado, que o paciente ainda não havia manifestado sintomas característicos do vírus da doença.

Na Turquia, o primeiro caso foi detectado no aeroporto internacional de Istambul, anunciaram neste sábado as autoridades da área de saúde.

O paciente, cuja nacionalidade não foi divulgada, também era procedente dos EUA, fez escala em Amsterdã antes de chegar à Turquia, para depois ir ao Iraque.

Esta pessoa teria nacionalidade iraquiana e foi hospitalizada na metrópole, indicou a imprensa turca.

Também neste sábado, o Japão anunciou que há oito estudantes com gripe suína em Kobe (oeste), enquanto várias dezenas de outros podem ter sido infectados pelos vírus da doença na região.

Os oito primeiros casos confirmados de transmissão local no Japão são todos alunos de um colégio em Kobe e nove outros estudantes da metrópole vizinha de Osaka estão com suspeita da doença, indicaram responsáveis locais.

O primeiro-ministro, Taro Aso, pediu à população para manter a calma e prometeu adotar todas as medidas necessárias para evitar uma propagação do vírus.

"O governo vai realizar exames mais aprofundados nos pacientes e seus familiares. Vamos agir para impedir a epidemia de se expandir", disse em um comunicado.

si-kh/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG