KINSHASA (Reuters) - A Organização Mundial da Saúde (OMS) está analisando dois casos suspeitos da gripe H1N1 no República Democrática do Congo, informou o representante do país central da África na OMS nesta sexta-feira. Se o vírus H1N1 for confirmado, será o primeiro caso do novo tipo de gripe na África, onde o serviço de saúde precário já luta para enfrentar doenças mortais como malária e febre tifoide.

A vítima suspeita trabalha no projeto Tenke Fungurume, da empresa Freeport-McMoRan, na província de Katanga, um dos maiores projetos de mineração do Congo.

"O caso suspeito de Katanga, precisa ser dito com clareza, é um forte caso suspeito porque é um cidadão chileno que viajou e veio do continente Americano", disse a jornalistas Matthieu Kamwa, represente do país na OMS.

O segundo caso foi em um paciente na cidade oriental de Goma, que não viajou para fora do Congo.

Os últimos dados da OMS mostram que o vírus já infectou 11 mil pessoas em 42 países, matando 86 delas.

Na manhã desta sexta-feira, a chefe da OMS, Margaret Chan, disse em Genebra que os países devem estar prontos para mais contaminações sérias da gripe H1N1 e mais mortes decorrentes do vírus.

(Reportagem de Joe Bavier)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.