OLP se nega a negociar enquanto Israel continuar com assentamentos

Jerusalém, 15 mar (EFE).- A Organização para a Libertação da Palestina (OLP) rejeitou hoje o início das negociações indiretas de paz com Israel enquanto o Estado judeu persistir com a construção de assentamentos.

EFE |

"A posição da Autoridade Palestina é clara. Não voltaremos às negociações de paz até que Israel anule sua decisão de construir centenas de casas em assentamentos em Jerusalém Oriental", disse o secretário-geral do Comitê Executivo da OLP, Yasser Abed Rabbo.

"Frear os assentamentos não é só uma condição palestina. Isso se transformou em uma exigência internacional", acrescentou Rabbo.

As declarações foram feitas horas depois de o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, assegurar em reunião com deputados de seu partido, o direitista Likud, que "a construção em Jerusalém, e em qualquer outra parte, continuará como nos últimos 42 anos", quando foi iniciada a ocupação dos territórios palestinos.

Segundo Rabbo, "Jerusalém é um dos principais assuntos nas conversas para um status permanente e qualquer ação israelense na cidade não contribuirá para criar um processo político sério de paz".

Por sua vez, Nabil Shaath, membro do comitê central do Fatah, partido do presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, afirmou que as negociações indiretas não serão iniciadas até que "Israel cancele todas suas decisões de expandir os assentamentos nos territórios palestinos ocupados, incluindo Jerusalém Oriental".

O negociador-chefe palestino, Saeb Erekat, tachou as declarações de Netanyahu de "provocativas". Ele ressaltou que elas contradizem as desculpas oferecidas pelo primeiro-ministro israelense aos Estados Unidos.

A crise começou após Israel anunciar a construção de 1.600 casas na colônia de Ramat Shlomo durante a visita do vice-presidente americano, Joe Biden, na semana passada. EFE aca-sar/pb/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG