OLP desmente jornal e diz que não aceitará Estado palestino só na Cisjordânia

Jerusalém, 3 dez (EFE).- A Organização para a Libertação da Palestina (OLP) reiterou hoje seu compromisso com a criação de um Estado palestino na Cisjordânia, Faixa de Gaza e Jerusalém Oriental, depois que o jornal The Washington Times publicou que esse grupo estaria disposto a aceitar primeiro um só na Cisjordânia.

EFE |

"Ao contrário da informação que surgiu nesse jornal americano, a OLP não aceitará nenhum acordo parcial ou soluções interinas, incluindo o estabelecimento de um Estado só na Cisjordânia", afirma uma nota divulgada pela Unidade de Apoio às Negociações da organização.

A informação do jornal publicada na terça-feira afirmava que a OLP estaria disposta a aceitar um Estado palestino na Cisjordânia, ao qual poderia unir a Faixa de Gaza posteriormente, "se o grupo Hamas deixasse o controle" desse território palestino.

Em entrevista ao jornal, Maen Rashid Areikat, coordenador-geral do Departamento de Negociações da OLP, disse que poderia se chegar a um acordo com Israel sobre a fundação de um Estado palestino, "mesmo antes de Hamas e OLP resolverem suas diferenças".

Na nota de hoje, a OLP afirma que "se mantém firmemente comprometida com a resolução do conflito palestino-israelense através de uma solução de dois Estados, assim como uma solução justa e estipulada para a situação dos refugiados, de acordo com a resolução 194 da Assembléia Geral das Nações Unidas".

Insiste também em que "um Estado palestino deve incluir Cisjordânia, Faixa de Gaza e Jerusalém Oriental como sua capital".

EFE db/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG