Olmert volta a ser interrogado em caso de corrupção

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, foi interrogado pela segunda vez nesta sexta-feira, em Jerusalém, por causa de acusações de corrupção envolvendo centenas de milhares de dólares. A polícia investiga alegações de que Olmert teria aceitado até US$ 500 mil do empresário judeu americano Morris Talansky.

BBC Brasil |

Talansky está atualmente em Israel e admitiu dar dezenas de milhares de dólares a Olmert durante vários anos enquanto o premiê era prefeito de Jerusalém e, depois, ministro do Comércio.

A polícia suspeita que o dinheiro pode ter sido oferecido por Talansky em troca de favores políticos, mas o empresário diz não ter pedido nada.

Olmert nega ter feito qualquer coisa ilegal. Ele diz que as doações foram feitas para atividades políticas legítimas, incluindo o pagamento de dívida de campanha.

O primeiro-ministro israelense tem estado sob pressão da oposição e sua popularidade vem caindo nas pesquisas de opnião por causa das alegações.

Olmert diz que renunciará se for indiciado por corrupção ou suborno, mas promotores dizem que pode levar ainda meses até que as investigações sejam concluídas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG