Jerusalém, 5 ago (EFE).- O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, será interrogado novamente na sexta por membros da União Nacional Antifraude sobre um caso de suborno e pagamento ilegal de dinheiro, informou hoje a imprensa local.

Está previsto que o interrogatório, o quinto do chefe de Governo israelense nos últimos três meses, seja realizado em sua residência oficial em Jerusalém às 10h (horário local), informou hoje o jornal "Yedioth Ahronoth" em sua versão digital.

A investigação contra Olmert foi iniciada por suspeitas de recebimento de dinheiro ilegal do empresário americano Morris Talansky quando ocupava outros cargos públicos.

No curso das investigações surgiram informações que também tornaram Olmert em suspeito de crime de recebimento ilegal de dinheiro e de outras irregularidades na solicitação de viagens para várias organizações.

As contínuas especulações e as novas informações sobre as investigações enfraqueceram politicamente Olmert, que após perder apoio dentro da coalizão governista e dentro de seu próprio partido, o Kadima, se viu obrigado a anunciar que não se apresentará às primárias da legenda, marcadas para setembro.

Olmert deixará a Chefia de Governo quando o Kadima escolher um novo líder, como foi anunciado na semana passada.

No passado Olmert foi investigado por outros quatro casos de suposta corrupção e suborno durante seus mandatos como prefeito de Jerusalém e ministro da Indústria, mas nunca foi acusado nem se tornou réu de um processo. EFE aca/wr/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.