Olmert se prepara para passar cargo de premiê israelense a Livni

JERUSALÉM - O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, que enfrenta um possível indiciamento por corrupção, irá entregar formalmente sua demissão ao presidente Shimon Peres assim que um encontro puder ser arranjado, disse o porta-voz do premiê neste sábado.

Reuters |

Quando Olmert tiver entregado sua demissão, Peres, cujos poderes como chefe de Estado são essencialmente simbólicos, deve solicitar à sucessora, Tzipi Livni, que forme um novo governo.

O porta-voz de Olmert, Mark Regev, disse que primeiro iria informar o gabinete na reunião semanal deste domingo.

'Ele irá anunciar ao gabinete que, como primeiro-ministro, está se demitindo', Regev disse. 'Temos que marcar um encontro com Peres para a demissão formal.'

Além disso, autoridades afirmaram não saber exatamente qual é o cronograma para um processo no qual Olmert será mantido como premiê interino enquanto uma nova coalizão governamental é formada --possivelmente dentro de várias semanas.

Livni, que espera se tornar a primeira mulher a liderar Israel desde Golda Meir nos anos 1970, venceu por estreita margem a disputada eleição de quarta-feira para suceder Olmert no partido Kadima. Ela enfrenta uma luta para sanar divisões dentro de seu próprio movimento e persuadir partidos menores a seu juntar a ela em um novo governo.

Pela lei, Peres tem até 14 dias para solicitar a Livni, atual ministra das Relações Exteriores, que forme um governo, e deve consultar líderes de outros partidos. Ele viaja para Nova York na segunda-feira para comparecer a reuniões nas Nações Unidas, informou o escritório dele.

Livni, advogada de 50 anos e ex-agente do Mossad, o serviço secreto israelense, terá seis semanas para tentar garantir um acordo para uma nova coalizão, com o Partido Trabalhista de Ehud Barak, à esquerda, e o partido religioso Shas, à direita, além de vários outros grupos menores.

Caso fracasse --o Kadima só detém um quarto das cadeiras do parlamento de Israel--, o líder da oposição direitista Benjamin Netanyahu pode realizar seu desejo de uma eleição parlamentar antecipada, a qual seu partido, o Likud, venceria, de acordo com as pesquisas.

    Leia tudo sobre: israel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG