GAZA - O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, prometeu ao presidente palestino, Mahmoud Abbas, novos gestos de boa vontade, incluindo a libertação de presos palestinos antes do fim do mês, informaram hoje fontes do escritório do líder palestino.

O compromisso foi adotado ontem, na reunião entre os dois em Jerusalém durante as negociações políticas lançadas na cúpula de Annapolis (EUA) de novembro de 2007, com o objetivo de fechar um acordo de paz antes de 2008.

Abbas insistiu na necessidade de libertar dirigentes palestinos, como o carismático líder do Fatah Marwan Barghuti, condenado a cinco prisões perpétuas.

O chefe de governo israelense prometeu que as libertações acontecerão antes do fim de setembro, segundo as fontes próximas às negociações, que falaram sob condição de anonimato.

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP) também pediu maiores facilidades para que os muçulmanos residentes na Cisjordânia possam ir a Jerusalém para rezar na Esplanada das Mesquitas por causa do mês sagrado do Ramadã, agregaram.

Abbas pediu ainda o fim de algumas das mais de 600 barreiras do Exército israelense na Cisjordânia. Olmert prometeu dar passos neste sentido, segundo as fontes.

Os dois líderes concordaram em se reunir de novo dentro de cerca de 15 dias, quando o presidente palestino retornar da reunião da Assembléia Geral das Nações Unidas, explicou à Efe Mark Regev, porta-voz do primeiro-ministro israelense.

Olmert deve renunciar assim que seu partido, o Kadima, eleger hoje um novo líder, mas permanecerá no cargo até a formação de um novo governo ou, se isso não for possível, até a convocação de eleições antecipadas.

Leia mais sobre Faixa de Gaza

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.