Olmert passa pelo sexto interrogatório devido a escândalo de corrupção

Jerusalém, 22 ago (EFE).- A Polícia submeteu hoje o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, ao sexto interrogatório devido ao escândalo de corrupção que levou o chefe de Governo a anunciar que não se candidatará às primárias de seu partido, o Kadima.

EFE |

Segundo a rádio pública israelense, o novo interrogatório ocorreu como os anteriores na própria residência do primeiro-ministro, e durou três horas.

A Polícia não informou sobre o resultado do interrogatório, mas a imprensa local indica que a sessão de hoje pode ter se concentrado em casos de corrupção, cuja investigação ainda está em fases preliminares.

O principal assunto sobre o qual se concentraram até agora as investigações policiais é a entrega a Olmert pelo empresário americano Morris Talinsky de pelo menos dezenas de milhares de dólares desde que o atual primeiro-ministro era prefeito de Jerusalém, no final dos anos 90.

A Justiça israelense ainda não formalizou acusações contra Olmert, mas o escândalo político motivado por esse caso obrigou o ainda primeiro-ministro a anunciar que abandonará o Governo após o Kadima realizar, em setembro, eleições primárias para escolher um novo líder.

O próximo líder do Kadima - cargo para o qual os principais candidatos são a ministra de Exteriores, Tzipi Livni, e o de Transportes, Shaul Mofaz - substituirá também Olmert na Chefia do Executivo se conseguir manter a atual maioria governamental. EFE amg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG