Olmert: Israel defenderá militares de acusações de crimes de guerra

Israel vai garantir proteção para soldados que lutaram na ofensiva militar contra o grupo radical islâmico Hamas na Faixa de Gaza, afirmou neste domingo o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, em meio a acusações de crime de guerra contra seu país.

AFP |

"Os comandantes e soldados enviados a Gaza devem saber que estão completamente seguros em relação aos tribunais, e que Israel vai ajudá-los e protegê-los", declarou.

Olmert confirmou a indicação do ministro da Justiça, Daniel Friedman, para coordenar um comitê interministerial encarregado de "organizar os esforços de Israel para oferecer defesa judicial para todos que participaram da operação militar".

"Ele irá formular perguntas e respostas relacionadas às operações do exército, que algumas pessoas hipócritas (...) podem utilizar para processar oficiais e soldados", indicou o primeiro-ministro.

A censura militar israelense já havia proibido a publicação da identidade de líderes de unidades de combate que lutaram contra militantes do Hamas na Faixa de Gaza, temendo que eles fossem posteriormente acusados de crimes de guerra.

O ministro das Relações Exteriores palestino, Riyad al-Malki, disse que a ação do governo israelense não deve evitar eventuais acusações de crimes de guerra.

"A decisão (do governo israelense) não vai evitar que governos e organizações de defesa dos direitos humanos em todo o mundo processem todos os líderes israelenses responsáveis pela morte e pela destruição do povo palestino", declarou à imprensa.

ylf/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG