Olmert envia assessores ao Cairo para negociar libertação de soldado

Jerusalém, 14 mar (EFE).- O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, enviou hoje ao Cairo Yuval Diskin, diretor do Shin Bet (Agência de Segurança de Israel), junto com Ofer Dekel, principal negociador para a libertação do soldado Gilad Shalit, sequestrado em 2006 pelo Hamas.

EFE |

Eles farão "um esforço adicional para esgotar todas as possibilidades de conseguir a libertação do soldado sequestrado Gilad Shalit", informou em comunicado o Escritório do primeiro-ministro.

Diskin e Dekel permanecerão até amanhã na capital egípcia, onde "se reunirão com intermediários das negociações" e decidirão "se é ou não possível avançar na libertação".

Sean quais sejam as conclusões das negociações, Olmert convocará "uma sessão especial do Gabinete (de ministros) na segunda-feira de manhã para informá-lo sobre os contatos e para dar uma descrição da situação atual, antes do estabelecimento do novo Governo, provavelmente na próxima semana".

Olmert, "informou Benjamin Netanyahu, designado para formar o próximo Governo", dos detalhes da negociação.

A equipe de Olmert intensificou nas últimas semanas os esforços para chegar a um acordo com o Hamas, que mantém em cativeiro o soldado israelense, sequestrado por três milícias palestinas em junho de 2006 quando cumpria serviço militar e se encontrava de guarda nos arredores da Faixa de Gaza.

Ontem, centenas de pessoas se manifestaram para exigir a libertação de Shalit em frente à residência de Olmert em Jerusalém, onde os pais do soldado se instalaram esta semana em uma tenda de campanha para pressioná-lo a fechar um pacto com o Hamas.

O jornal israelense "Ha'aretz" assegurou na sexta-feira, citando fontes palestinas próximas à negociação, que Israel aceitou libertar 450 presos exigidos pelo Hamas em troca de Shalit. EFE aca/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG