Olmert é interrogado pela décima vez por suspeita de corrupção

Jerusalém, 14 nov (EFE).- O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, foi interrogado hoje pela décima vez hoje, em sua residência de Jerusalém, por suspeita em dois casos de corrupção, mas não foi questionado sobre o escândalo que mais repercutiu -das faturas duplas-, informou o porta-voz Polícia, Micky Rosenfeld.

EFE |

Os agentes do Departamento de Fraudes israelense perguntaram a Olmert durante duas horas e meia sobre supostas irregularidades na concessão de cargos quando ele ocupou o Ministério de Indústria, Trabalho e Comércio no Governo de Ariel Sharon, precisou Rosenfeld.

O primeiro-ministro interino, que apresentou sua renúncia em setembro, devido aos escândalos judiciais, não foi, no entanto, interrogado sobre a acusação que mais possibilidades tem de levá-lo ao banco dos reús: o escândalo das "faturas duplas".

Os investigadores suspeitam que Olmert e uma agência de viagens apresentaram faturas duplicadas a diferentes órgãos e instituições das viagens que fez a outros países para depois pagar férias privadas a ele e sua família.

A Polícia recomendou em setembro à Procuradoria que acusasse Olmert por este caso e por outro de suborno, mas a acusação pública solicitou aos investigadores que "recheassem algumas lacunas" da investigação antes de acusá-lo formalmente.

O chefe de Governo declarou-se inocente publicamente de todas as acusações, pelas quais até agora não foi formalmente acusado. EFE ap/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG