Jerusalém, 27 fev (EFE).- O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, que deixará o cargo assim que Benjamin Netanyahu formar seu novo Governo, foi interrogado hoje pela 16ª em relação aos escândalos de corrupção que acabaram com sua gestão, há seis meses.

Agentes da unidade antifraudes interrogaram hoje Olmert durante três horas e meia na residência oficial do primeiro-ministro, em Jerusalém, disseram fontes policiais.

As fontes não precisaram os expedientes relacionados ao interrogatório de hoje, mas acredita-se que podem ser vários e, entre eles, está um de suposta fraude a instituições públicas para pagar viagens a familiares.

Há várias semanas, Olmert, que renunciou em setembro e provocou, com isso, a antecipação das eleições do passado 10 de fevereiro, é interrogado quase todas as sextas-feiras. EFE Elb/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.