Olmert e Abbas se reunirão na próxima semana para discutirem situação de Gaza

Gaza, 15 nov (EFE).- O primeiro-ministro interino de Israel, Ehud Olmert, se reunirá na próxima segunda com o presidente da ANP, Mahmoud Abbas, para analisar o final da trégua na Faixa de Gaza, anunciou hoje Saeb Erekat, assessor do líder palestino.

EFE |

No encontro, que acontecerá em Jerusalém, os dois dirigentes abordarão também a questão dos assentamentos judaico na Cisjordânia, declarou Erekat à rádio "Voz da Palestina".

Embora tecnicamente continue de pé, o cessar-fogo em Gaza, estipulado no dia 19 de junho para seis meses com mediação egípcia, vive suas horas mais baixas desde que, há dez dias, o Exército israelense efetuou uma incursão na Faixa para destruir um túnel, ação em conseqüência da qual morreram seis militantes do Hamas.

A invasão gerou uma espiral de ataques e contra-ataques que deixou entre 11 e 13 milicianos palestinos mortos.

Em Israel não foram registradas vítimas pelo lançamento de foguetes artesanais e bombas neste período pelos grupos armados palestinos.

O vice-primeiro-ministro israelense, Haim Ramon, deu ontem por encerrada "de fato" a trégua, após a escalada da violência dos últimos dias.

Por outro lado, Olmert afirmou que seu país "não se resignará" a sofrer com o impacto constante de foguetes palestinos, após se reunir com urgência em Tel Aviv com o ministro da Defesa, Ehud Barak, e a cúpula militar.

Enquanto isto, os postos fronteiriços entre Gaza e Israel permanecem fechados pelo 10º dia consecutivo, o que impediu a Agência da ONU para os Refugiados Palestinos (UNRWA, sigla em inglês) fornecer alimentos entre a população por falta de provisões.

A metade do milhão e meio de habitantes da Faixa recebe seu sustento da UNRWA.

"Não há sinais de que se vá permitir a entrada nos próximos dias dos produtos básicos de Gaza", lamentou hoje Hatem Owaida, alto funcionário do Ministério da Economia do Governo de fato do Hamas na Faixa.

O fechamento das passagens deixou totalmente às escuras mais de um quarto da Faixa de Gaza na última quinta, quando a única usina de produção de energia elétrica parou os motores por falta de combustível.

O diretor do sindicato de empresários de postos de gasolina, Mahmoud al-Shawa, advertiu hoje que as instalações de tratamento de resíduos, água e outros serviços que precisam de eletricidade estão a ponto de parar por falta de abastecimento energético. EFE sa'ar/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG