Olmert diz que vai renunciar após escolha de sucessor

ISRAEL - O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, disse nesta quarta-feira que vai renunciar depois que seu partido, o Kadima, escolher um novo líder no dia 17 de setembro, nas eleições internas. Eu decidi que não vou concorrer nas primárias do Kadima, nem pretendo interferir nas eleições, disse Olmert em um anúncio surpresa em sua residência oficial em Jerusalém.

Redação com AP |

"Quando um novo presidente do (partido Kadima) for escolhido, eu vou renunciar como primeiro-ministro para permitir que seja formado um novo governo de forma rápida e efetiva", disse.

O anúncio chega em um momento de fraqueza política de Olmert, forçado por seu próprio partido, o Kadima, e seus parceiros no governo de convocar eleições primárias em sua legenda para setembro. A oposição parlamentar também pedia sua renúncia.

Premiê investigado

A última investigação contra Olmert se baseia nas suspeitas de que recebeu dinheiro de forma ilegal do empresário judeu americano Morris Talansky quando ocupava cargos públicos.

Em maio, quando o escândalo se tornou público, Talansky disse ter entregue durante os últimos 15 anos envelopes com dinheiro ao atual chefe de governo como doações para as campanhas eleitorais e uso pessoal.

O chefe de governo reconheceu então que recebeu dinheiro de Talansky, mas insistiu em que nunca o utilizou para benefício próprio nem favoreceu o empresário em contrapartida, como suspeitam os investigadores.

Aguarde mais informações.

Leia mais sobre Ehud Olmert

    Leia tudo sobre: ehud olmert

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG