Olmert diz que tempo está acabando para solução de dois Estados

JERUSALÉM - O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, alertou nesta segunda-feira que o tempo está acabando para uma solução que criaria dois Estados no conflito entre israelenses e palestinos. Em uma cerimônia anual em homenagem ao ex-primeiro-ministro israelense Yitzhak Rabin, assassinado por um judeu ultranacionalista em 1995, Olmert defendeu novamente um acordo de paz no qual Israel se retiraria de quase toda a Cisjordânia ocupada.

Reuters |

"Deus não permita que nos prolonguemos, pois poderíamos perder o apoio para uma solução de dois Estados", disse, se referindo à criação de um Estado palestino ao lado de Israel, um conceito da base das atuais negociações de paz mediadas pelos Estados Unidos.

"A decisão deve ser tomada agora, sem hesitar, antes que a estreita janela de oportunidades para que plantemos essa solução na consciência de nossa população e de todas as nações do mundo suma bem na frente de nossos olhos."

Olmert afirmou que caso não se consiga estabelecer um Estado palestino, a pressão pode aumentar para que Israel aceite um Estado binacional que incluiria a Cisjordânia e a Faixa de Gaza, o que, devido à maior taxa de natalidade dos árabes, faria com que a população judaica se tornasse uma minoria.

As conversas sobre a formação do Estado Palestino foram retomadas em novembro passado, mas têm sido atrapalhadas pela expansão de assentamentos judaicos do governo de Olmert e por discordâncias em assuntos básicos, como o futuro de Jerusalém.

Os Estados Unidos já disseram que há pouca chance de atingir o objetivo de conseguir pelo menos a estrutura de um acordo até o final do ano.

Olmert renunciou em setembro após um escândalo de corrupção, mas continua primeiro-ministro até que um novo governo seja formado depois das eleições parlamentares marcadas para o dia 10 de fevereiro.

    Leia tudo sobre: israel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG