Olmert defende que parte de Jerusalém seja capital de Estado palestino

Jerusalém, 6 mar (EFE).- O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, que está no fim de mandato, reconheceu hoje que seu país não alcançará a paz com os palestinos a não ser que parte de Jerusalém se transforme na capital do (futuro) Estado palestino.

EFE |

"Não devemos nos enganar. Este passo é inevitável", ressaltou em uma conferência no norte do Estado Judeu, informou a imprensa local.

O sucessor nomeado de Olmert, o líder do Likud Benjamin Netanyahu -que atualmente negocia a formação de um Governo de coalizão - se opõe taxativamente à divisão da cidade sagrada, cuja parte oriental Israel ocupa desde a Guerra dos Seis Dias de 1967.

Olmert e o presidente da Autoridade Nacional Palestino (ANP), Mahmoud Abbas, se comprometeram na Conferência de Annapolis (EUA) de novembro de 2007 a fechar um acordo de paz que inclua a criação de um Estado palestino antes que George W. Bush abandonasse a Casa Branca, em janeiro. EFE ap/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG