Olmert considera praticamente impossível acordo sobre Jerusalém este ano

Jerusalém, 28 jul (EFE).- O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, considerou hoje praticamente impossível alcançar este ano um acordo com os palestinos sobre Jerusalém, dentro do processo de negociação iniciado em novembro do ano passado na cúpula de Annapolis, nos Estados Unidos.

EFE |

"Não acho que o entendimento possa incluir Jerusalém", afirmou Olmert, em um comparecimento diante do Comitê de Relações de Exteriores e de Defesa do Parlamento israelense, segundo o jornal "Ha'aretz", que cita fontes presentes na reunião.

De acordo com essas fontes, Olmert atribuiu a falta de acordo à insegurança existente na cidade após os últimos ataques cometidos com escavadeiras por moradores árabes que não pertenciam a grupos armados palestinos e que agiram por conta própria.

"Nessas condições, é praticamente impossível que o entendimento inclua Jerusalém", advertiu Olmert, em referência à exigência dos palestinos de estabelecer na parte leste da cidade (árabe) a capital de seu futuro Estado independente.

Olmert disse que as posições de israelenses e palestinos sobre outros assuntos da negociação - como as fronteiras do Estado palestino e o problema dos refugiados - são muito mais próximas.

As declarações de Olmert ocorrem antes que delegações israelenses e palestinas se reúnam na próxima quarta-feira, em Washington, com funcionários americanos, para tentar avançar no processo de negociação de Annapolis.

Segundo fontes diplomáticas americanas, a reunião diz respeito à intenção da secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, de apresentar em setembro - dentro da Assembléia Geral da ONU - um memorando sobre o atual processo de negociação.

Esse documento tem o objetivo de colocar as bases este ano de um acordo para a criação de um Estado palestino independente. EFE amg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG