O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, considerou neste domingo que as recentes exações de colonos judeus em Hebron, na Cisjordânia, são intoleráveis e seu ministro da Defesa, Ehud Barak, prometeu reprimi-las com vigor.

"Esta situação é intolerável e inaceitável. As violações da lei são sempre acompanhadas de violências contra as forças de ordem", afirmou Olmert aos jornalistas no início de uma reunião do governo em Jerusalém.

O primeiro-ministro de transição reagiu assim às violências da madrugada em Hebron, onde dois guardas da fronteira israelenses foram feridos em enfrentamentos com colonos judeus.

Esta é a quarta vez em duas semanas que colonos atacam as forças de ordem israelenses na região.

"Este grupo, composto por "foras-da-lei", está longe de ser insignificante", disse Olmert referindo-se aos colonos.

"Fomos recentemente testemunhos de vários incidentes extremamente graves, mas a meu ver a grande maioria dos cidadãos que vivem na Judéia e na Samaria (Cisjordânia) respeita a lei. Eles têm todo nosso respeito", acrescentou.

O ministro da Defesa prometeu por sua vez combater "um fenômeno grave que nenhuma sociedade poderia tolerar".

"Vamos combatê-los com todas as nossas forças e previmos uma série de medidas para reforçar nossa ação contra os colonos extremistas", declarou Barak.

rb-mel/lm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.