Olho do furacão Ike toca a terra de novo em Cuba

O olho do furacão Ike tocou de novo a terra em Cuba, numa ponta da província ocidental de Pinar del Río, 70 km a sudoeste de Havana, para cruzar a ilha e sair pelas águas do Golfo do México, segundo informes meteorológicos de Cuba e dos Estados Unidos.

AFP |

O devastador furacão chegou com ventos de 130 km/h, na categoria um (de um máximo de cinco), e com uma velocidade de deslocamento de 20 km/h, e levará umas cinco horas para atravessar Pinar del Río de sul a norte.

Havana estava paralisada, com as ruas vazias e as lojas do comércio todas fechadas na manhã desta terça-feira, depois das fortes rajadas de vento e tempestade provocadas pela chegada do furacão Ike, que deixou quatro mortos em Cuba.

O Conselho de Defesa provincial divulgou pela televisão e pelo rádio, que vêm dando informações contínuas sobre o furacão, avisou a população que o transporte urbano na capital, sob máxima alerta como o restante do país.

Os hospitais, edifícios públicos e os albergues onde estão parte dos 170.000 desabrigados da cidade contam com geradores de energia elétrica, mas o restante da cidade está no escuro.

Mais de 20.000 pessoas foram retiradas de Havana Velha -Patrimônio da Humanidade, diante do risco de derrubadas de antigas casas e edifícios, em mal estado de conservação.

A Federação Internacional da Cruz Vermelha lançou nesta terça-feira um apelo para arrecadar 5,8 milhões de dólares para apoiar a ação humanitária de sua filial cubana, que enfrenta esta temporada de furação devastadora.

mis/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG