Oito são mortos em primeiro grande ataque desde Mumbai

Por Rituparna Bhownik PUNE, Índia, 13 de fevereiro (Reuters) - Uma bomba destruiu um restaurante lotado na cidade indiana de Pune no sábado, matando ao menos oito pessoas, inclusive quatro estrangeiras, no primeiro grande ataque terrorista a acontecer desde o massacre em Mumbai em 2008.

Reuters |

A explosão acontece apenas um dia depois que o Paquistão e a Índia fizeram um acordo para realizar um encontro entre altas autoridades em Nova Déli no dia 25 de fevereiro. Nova Déli suspendeu esforços de paz com Islamabad depois dos ataques de Mumbai, pelo qual militantes paquistaneses são acusados.

Ao menos 33 pessoas ficaram feridas no sábado, disse a polícia. Ninguém assumiu a responsabilidade pelo ataque.

"Houve uma explosão," disse o oficial da polícia Rajendra Sonawane a repórteres. "Havia uma bolsa abandonada que aparentemente continha uma explosivo caseiro."

A explosão na Confeitaria Alemã ocorreu à noite, quando o restaurante estava lotado de turistas e estrangeiros. "Quatro estrangeiras foram mortas. A nacionalidade delas ainda é desconhecida," disse Dilip Band, um oficial da polícia, à rede de TV CNN-IBN.

Destroços estavam espalhados por todos os lados na confeitaria, que fica perto do ashram Osho, que é muito freqüentado por turistas, e de um centro judaico. O impacto do explosivo estourou as vidraças e derrubou a fachada da confeitaria deixando uma enorme cratera dentro do restaurante.

"A bomba estava sob uma das mesas... Já transferimos várias pessoas às ambulâncias... Não há mais Confeitaria Alemã," disse um estrangeiro, que, sem ar, encostava-se a uma parede, em entrevista à CNN-IBN.

"Há oito mortos e 33 feridos," disse Sonawane, o comissário adjunto de polícia.

"Escutamos um estrondo e todos corremos para fora. O impacto foi tal que havia pequenos pedaços de corpos por toda parte," disse Vinod Dhale, um funcionário da confeitaria.

Militantes mataram 166 pessoas durante um ataque no centro financeiro de Mumbai em novembro de 2008 que aumentou as tensões entre Paquistão e Índia, duas potências nucleares.

Antes de Mumbai, uma onda de ataques com bombas em cidades indianas em 2008 matou mais de 100 pessoas. A polícia acusou militantes islâmicos na Índia de realizar a maioria deles, apesar de haver suspeitas de envolvimento de militantes hinduístas em alguns dos ataques.

Autoridades têm avisado que há novas ameaças de ataques em solo indiano nos últimos meses e aumentaram a segurança no país de 1,2 bilhão de habitantes.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG