Oito são detidos por ataque em casamento na Turquia

Ancara, 5 mai (EFE).- O ministro do Interior da Turquia, Beshir Atalay, anunciou hoje que foram detidas oito pessoas supostamente envolvidas no ataque armado contra um casamento que matou 44 pessoas, em sua maioria mulheres e crianças.

EFE |

"O promotor do Estado esteve trabalhando durante toda a noite ouvindo as testemunhas. Oito pessoas foram capturadas e presas, e suas armas confiscadas", declarou Atalay.

Os suspeitos estão sendo interrogados pela gendarmaria turca.

"Todos são moradores da aldeia. Há pessoas com diferentes nomes familiares, mas tanto os mortos como os suspeitos têm em sua maioria o mesmo sobrenome", acrescentou.

"Segundo nossas primeiras informações, trata-se de um ataque por hostilidades entre famílias do povoado", acrescentou.

Atalay também reduziu o número de mortos de 45 para 44, e disse que entre os falecidos há seis menores e 16 mulheres.

O ministro já havia descartado hoje o envolvimento do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) no ataque.

A possibilidade de um atentado terrorista esteve presente, já que a maioria dos homens que assistia ao casamento era de guardas rurais, paramilitares curdos leais a Ancara que lutam contra o PKK.

O ataque aconteceu quando moradores da localidade de Bilge, na província de Mardin, celebravam o casamento da filha do chefe da aldeia, Cemil Celebi.

Por volta das 21h30 locais de ontem, quatro ou cinco homens encapuzados invadiram as duas casas onde ocorria o casamento e dispararam com metralhadora contra os presentes de forma indiscriminada durante cerca de 25 minutos.

A aldeia de Bilge, onde vivem 32 famílias, tem uma população total de 300 pessoas, a grande maioria de sobrenome Celebi, e praticamente todos os moradores sabiam manejar armas devido a sua condição de guardas rurais.

Uma sobrevivente de 19 anos disse à emissora "NTV" que os autores do ataque dispararam contra todos, e que ela só conseguir escapar se arrastando pelo chão até um quarto próximo.

Segundo a "NTV", os noivos, Sevgi Celebi e Habip Ari, estão entre os mortos no ataque. EFE dt/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG