Oito piratas detidos pela Marinha britânica são levados a tribunal queniano

NAIRÓBI - Oito supostos piratas somalis foram apresentados hoje a um tribunal do porto de Mombassa, no sul do Quênia, onde foram entregues na terça-feira pela Marinha britânica, que os deteve na semana passada, quando tentavam seqüestrar um veleiro iemenita na águas do Oceano Índico, informou a televisão local KTN.

EFE |

Antes de serem interceptados pelos britânicos, que mataram dois piratas no confronto, o grupo tinha tentado atacar um veleiro dinamarquês nas mesmas águas.

O chefe da polícia do litoral queniano, Kingxori Mwangi, disse à televisão local "ATN" que o mais velho dos piratas detidos tem 44 anos e os britânicos confiscaram deles sete fuzis AK-47, várias pistolas e lança-foguetes.


Supostos piratas vão a julgamento no Quênia / AP

O secretário de Estado para as Forças Armadas do Reino Unido, Bob Ainsworth, que está em visita a Nairóbi, disse que "esta operação reduzirá dentro de pouco tempo a ameaça da pirataria", mas reconheceu que "será duro acabar com ela completamente", segundo recolheu hoje a televisão local.

"A comunidade internacional deve unir seus esforços para deter as atividades ilegais marítimas", disse Ainseorth, que agradeceu "a colaboração do governo do Quênia e sua determinação de julgar os suspeitos".


Mapa mostra a região do sequestro

Leia também:

Leia mais sobre piratas

    Leia tudo sobre: piratas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG