Oito funcionários locais da embaixada britânica em Teerã são detidos

TEERÃ - Oito funcionários locais da embaixada britânica em Teerã foram detidos pela polícia iraniana, acusados de participar dos distúrbios suscitados no país após a polêmica reeleição do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad.

Redação com agências internacionais |

Segundo a agência de notícias local "Fars", as oito pessoas "desempenharam um papel importante" na onda de protestos e na violência que sacudiu o Irã desde que foram conhecidos os resultados eleitorais, que a oposição denunciou como fraudulentos.

O regime iraniano acusou os países ocidentais, e em especial Estados Unidos, Reino Unido, França e Alemanha, de incentivar os distúrbios e de tentar com isso causar o que denomina como uma "revolução de veludo".

No sábado, o líder de oposição, Mir Houssein Mousavi, segundo colocado nas eleições presidenciais, se recusou a apoiar um plano para a recontagem parcial dos votos. 

Mousavi argumenta que as eleições foram alvo de fraude e contesta a reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad, que teria recebido mais de 60% dos votos, segundo a contagem oficial.

O Conselho de Guardiões, autoridade eleitoral máxima do país, concordou em realizar uma recontagem parcial dos votos em algumas regiões, mas Mousavi afirmou em um comunicado que a melhor solução para o impasse seria a realização de novas eleições.

O conselho deve dar seu parecer definitivo sobre a eleição neste domingo, mas já declarou que a votação foi a mais limpa da história do Irã. Mas Mousavi se recusa a aceitar o resultado e mantém a posição de que a eleição deve ser anulada.

Segundo ele, uma recontagem de votos limitada a apenas parte das urnas, como o Conselho dos Guardiões propôs, não é suficiente para recuperar a confiança da população nem deverá convencer a opinião pública sobre o resultado.

Mousavi disse que a única alternativa que ele estaria preparado a aceitar seria uma revisão total da votação por um órgão independente. 

(Com informações da EFE e da BBC Brasil)

Leia também:

Leia mais sobre Irã

    Leia tudo sobre: irãmousaviprotesto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG