Oito africanos são condenados à morte na China por tráfico de drogas

Pequim, 26 nov (EFE).- Oito africanos foram condenados hoje à pena de morte no sul da China por tráfico de drogas, mas terão um prazo de dois anos para tentarem alcançar a comutação da sentença para a prisão perpétua, anunciou a agência oficial de notícias chinesa Xinhua.

EFE |

Os condenados são quatro ugandenses, dois benineses e três zimbabuanos que traficaram heroína e outras drogas, em quantidades que iam de 654 gramas a até quase 2 quilos, segundo os funcionários chineses.

É a segunda condenação à morte contra africanos por tráfico de drogas na China em dois meses.

Um nono africano foi condenado à prisão perpétua pelo mesmo crime pelo Tribunal Popular Intermediário de Cantão.

Seis dos africanos portavam a droga ao serem detidos e um dos processados, uma mulher, levava 1,2 grama de heroína.

Um dos condenados, um ugandense de 39 anos, foi detido no ano passado em Cantão após chegar à China vindo de Bangcoc (Tailândia) com 1,9 grama de heroína em sua mala.

A cada ano a China recebe várias críticas de grupos de defesa dos direitos humanos como a Anistia Internacional por ser o país que mais aplica a pena de morte, com cerca de 8 mil sentenças por ano.

Embora os estrangeiros não costumem ser condenados a esta pena no país asiático, as autoridades chinesas são implacáveis no caso do tráfico de drogas. EFE mz/ev/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG