Ohio executa homem que queimou viva uma mulher

Washington, 3 jun (EFE).- O estado de Ohio, nos Estados Unidos, aplicou hoje uma injeção letal em um homem que em 1991 assassinou uma mulher ao trancá-la no porta-malas e atear fogo no carro.

EFE |

Um porta-voz da Unidade Correcional do Sul de Ohio indicou que Daniel Wilson, de 39 anos, pediu perdão a seus parentes e aos amigos da mulher.

"Lamento pelo que fiz a Carol e digo à minha família que estou triste pelo fato de tudo isso terminar assim. Acredito em Jesus. Ele é meu salvador", afirmou.

Para cumprir com as novas normas de execução no estado, um funcionário da prisão tentou despertar o condenado depois que ele começou a receber a dose de sedativos.

Fontes oficiais disseram que o objetivo era assegurar que ele estava totalmente inconsciente no momento em que começasse a receber as substâncias que o levariam à morte.

Essas normas foram anunciadas depois que há três anos um homem que se acreditava que estava inconsciente tentou se levantar da maca e informou aos carrascos que as drogas não estavam fazendo efeito.

Wilson foi condenado à morte pelo assassinato de sua amiga Carol Lutz, de 24 anos.

Aparentemente após uma discussão e depois que os dois beberam em um bar da cidade de Cleveland, o homem jogou a mulher no porta-malas do veículo e ateou fogo.

Após ser detido, Wilson disse que não sabia como a mulher tinha terminado no porta-malas do veículo. Sua execução foi a primeira do ano no estado de Ohio. EFE ojl/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG